Entre em contato pelo 0800 591 9059 ou pelo whatsapp (48) 9 9614-7530

Você conhece os problemas que afetam o apetite sexual do homem? Descubra as principais causas e como recuperar sua libido!

apetite sexual do homem

Apesar de não ser facilmente aceito é natural que com o passar dos anos o apetite sexual do homem vá diminuindo. Essa condição está relacionada a diversos fatores, mas ainda assim para a grande maioria o desempenho sexual é uma condição quase que fundamental no quesito “masculinidade”.

A boa notícia é que existem tratamentos para a maioria desses problemas que afetam drasticamente a autoestima e a vida de homens e seus parceiros. 

Ficou curioso para saber mais? Então conheça seis causas dessa insatisfação e as soluções que podem trazer mais estímulo para o apetite sexual do homem, o ajudando a recuperar sua libido.

FAÇA AGORA MESMO UMA AVALIAÇÃO DE SAÚDE GRATUITA

1. Álcool e Cigarro

Não é nenhum segredo que o tabagismo e o alcoolismo são grandes vilões para o desempenho sexual de homens e mulheres. O consumo de ambos, juntos ou separadamente, resultam em disfunções em curto e longo prazo.

A ingestão excessiva de bebidas alcoólicas interfere automaticamente na liberação dos hormônios como a testosterona, a serotonina e a progesterona, modificando o fluxo sanguíneo natural. Essa disfunção altera, principalmente, a ereção e a ejaculação. 

Ao longo do tempo esse problema pode evoluir para um quadro de impotência sexual, causando inclusive depressão. A soma desses problemas fatalmente influenciam no apetite sexual do homem.

Leia mais em: Alcoolismo e disfunção erétil: qual a relação?

O mesmo se dá para o vício com o tabagismo. O cigarro também é responsável por alterações hormonais que causam disfunção erétil, ansiedade e até queda de energia para diversas atividades.

Para resolver essas deficiências, especialistas indicam a interrupção do consumo dessas substâncias químicas que, sobretudo, causam muitas outras doenças gravíssimas; levando até a morte.

Veja mais em: Cigarro e disfunção erétil: Por que fumantes têm maior risco de sofrer com impotência sexual?

2. Medicamentos

O uso exagerado ou a combinação de múltiplos medicamentos agem como uma bomba dentro do nosso organismo. Imagine que cada remédio tem uma finalidade e um efeito; agora tente visualizar o colapso que os órgãos, os hormônios naturais e os processos internos sofrem ao ter que reagir a um combinado de componentes químicos.

Além desse cenário alarmante vale lembrar que muitos medicamentos têm como efeito colateral justamente a interferência na ereção e na libido.

Isso é bastante comum para pessoas que sofrem com doenças cardíacas e renais que utilizam medicamentos contínuos para hipertensão, úlceras, diabetes e, inclusive, antidepressivos. Estes compostos interferem na recepção da serotonina, o qual influencia na queda do tesão e consequentemente no desejo sexual. 

Portanto, uma importante medida é buscar um equilíbrio sobre a quantidade e real necessidade dos medicamentos que você consumirá. Outra alternativa é buscar por tratamentos naturais ou, caso isso não seja possível, é indispensável um retorno ao médico para solicitar a troca do seu remédio.

3. Distúrbios hormonais

Com o envelhecimento do corpo e do organismo é comum que os distúrbios hormonais comecem a surgir. Isso se dá também com a evolução da obesidade e até com os fortes tratamentos de doenças como o câncer, diabetes, neurológicos e outros.

Fora do nível médio de funcionamento, hormônios como o da tireóide, a prolactina e a testosterona são responsáveis pela diminuição do apetite sexual do homem.

A queda, principalmente, da última (testosterona – hormônio masculino) influenciam diretamente nos estímulos que liberam a libido, diminuindo o desejo sexual.

Para esse transtorno há tratamentos de reposição hormonal. Além disso, sessões de terapias também podem ser grandes aliadas nesse processo.

Leia também: Síndrome metabólica e problemas de ereção estão relacionados?

4. Estresse

A recorrência de situações com alto índice de nervosismo e/ou euforia lançam uma alta dose de adrenalina e cortisona no organismo. Isso significa que automaticamente o sensor de liberação da libido é alterado, já que ambos hormônios afetam o sistema produtor da serotonina influenciando negativamente no apetite sexual do homem.

Importante destacar que o estresse também é um dos responsáveis pela queda de produção da testosterona – hormônio masculino que em baixa produtividade interfere na ereção.

Nesse sentido, a medida mais cabível para melhorar esse quadro é o autocontrole. Identificar as razões que lhe causam estresse e evitá-los é o primeiro e mais importante passo. Para isso é válido recorrer a terapias, exercícios físicos, esportes, técnicas de respiração, meditação e outras atividades que causem prazer como a dança, a leitura, dentre outros.

Veja mais em: Estresse: saiba quais são as consequências para seu organismo

5. Disfunção Erétil

A recorrência de episódios de impotência sexual são grandes responsáveis pela queda do apetite sexual do homem. Isso porque o desempenho insatisfatório é motivo para o desenvolvimento de problemas psicológicos causados pela frustração, vergonha etc.

Leia mais em: Disfunção erétil psicológica: principais causas e melhor tratamento

A insegurança e o medo de não ter um bom desempenho sexual novamente inibe que o homem procure sua parceira(o), evitando-o e o fazendo gradativamente perder o interesse pelo sexo.

A origem desse problema pode ser tanto orgânica, por problemas de saúde ou vícios diversos (álcool, cigarro, remédios ou outras drogas ilícitas), quanto psicológicas (ansiedade, estresse, depressão etc).

Esse distúrbio é na maioria das vezes reversível. Para diagnosticá-lo e iniciar um tratamento é imprescindível a realização de uma avaliação de saúde. Dessa maneira o especialista poderá indicar o melhor método para ajudar a recuperar a autoestima e o apetite sexual do homem.

6. Depressão

A depressão pode ter muitas causas, uma delas é exatamente os problemas sexuais. O baixo desempenho, a ejaculação precoce e a impotência são fatores que mexem profundamente com qualquer pessoa.

Para os parceiro(a)s esses podem ser sinais de insatisfação com o relacionamento e para o paciente motivo de vergonha, de depreciação da autoestima e também um possível motivo de rejeição por parte do seu companheiro(a).

A recorrência desses episódios vão inibindo e fazendo com que a pessoa perca o interesse sexual – além de outros interesses, levando-o a um diagnóstico de depressão.

Veja também: Por que a ansiedade é inimiga do seu desempenho sexual?

Não bastando, quando a causa da doença não está diretamente relacionada ao seu desempenho sexual, isso pode vir a ser afetado com o tratamento medicamentoso.

A grande maioria dos remédios antidepressivos têm a queda da libido e a impotência sexual como uns dos seus efeitos colaterais.

No caso de problemas causados pelos remédios é importante relatar ao seu médico e pedir por um novo tratamento que interfira menos no desejo pelo sexo. 

Entretanto, caso a depressão esteja interferindo no apetite sexual do homem é importante aliar o tratamento a uma terapia.

Recuperando o apetite sexual do homem

Gostou do artigo? Reconheceu algum desses problemas ou conseguiu identificar uma boa alternativa para recuperar o seu apetite sexual?

Não deixe de procurar um tratamento, solicite agora mesmo uma avaliação de saúde e obtenha a orientação para refazer sua autoestima e melhorar o seu desempenho sexual.

Para mais informações sobre problemas sexuais, leia outros artigos exclusivos no blog da UroClinic Telemedicina.

FAÇA AGORA MESMO UMA AVALIAÇÃO DE SAÚDE GRATUITA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *