Entre em contato pelo 0800 591 9059 ou pelo whatsapp (48) 9 9614-7530

Tudo o que você precisa saber sobre o aumento benigno da próstata

aumento benigno da próstata

Antes de entender melhor o que é o aumento benigno da próstata é essencial ter conhecimento de alguns conceitos, como: o que é a próstata, para o que ela serve e quais problemas podem acometê-la.

A próstata é uma pequena glândula, parte da estrutura orgânica reprodutora masculina. Localizado logo abaixo da bexiga, no adulto jovem normalmente tem o tamanho de uma noz e pesa cerca de 20 gramas. 

Ela é responsável pela produção do fluído prostático, que junto ao líquido seminal resultam quase a totalidade da composição do sêmen. O líquido formado pela próstata alimenta, nutre e protege os espermatozóides, além de conduzi-lo no canal uretral.

FAÇA AGORA MESMO UMA AVALIAÇÃO DE SAÚDE GRATUITA

Acredite, a falta de conhecimento sobre as informações acima são mais comuns do que se possa imaginar.

Logo, não é atoa que a próstata receba pouquíssima precaução ao longa da vida do homem, chamando a atenção principalmente quando apresentam anormalidades, dores e outros sintomas.

Você sabia que os homens cuidam menos da saúde? Veja porque.

Aumento benigno da próstata

A glândula prostática é acometida fundamentalmente por três distúrbios, sendo eles: a infecção (prostatite) e os tumores maligno (câncer) e benigno.

Leia mais: Câncer, prostatite e hiperplasia benigna: os problemas mais comuns relacionados à próstata
Doenças sexuais masculinas: conheça e descubra os tratamentos!

Nesse sentido, as prostatites são responsáveis por quase 10% das consultas urológicas e, portanto, são consideradas comuns. Essa infecção – ou inflamação – pode causar dificuldades para urinar, dores perineais e febre; e normalmente são tratadas com antibióticos.

Veja mais informações sobre o câncer de próstata
11 mitos e verdades sobre o Câncer de Próstata

Já o aumento benigno da próstata (ou hiperplasia prostática benigna – HPB), geralmente acontece por volta dos 40 anos e até os 80 deve se apresentar a pelo menos 90% dos homens.

Essa enfermidade se manifesta a partir do crescimento de nódulos em pelo menos uma parte da glândula, tal qual pode vir a resultar em outras complicações.

Entretanto, cientificamente a razão do seu desenvolvimento ainda não foi definido; o que especialistas e pesquisadores afirmam é sua relação com diversos fatores (simultâneos ou não). Sua causa pode estar relacionada com a idade, deformações genéticas, histórico familiar, idade e altos níveis de testosterona (hormônio masculino).

Diagnóstico

Os sintomas do HPB podem ser divididas entre Obstrutivas e Irritativas.

Então, para melhor compreensão dos sinais obstrutivos é importante destacar que no sistema reprodutivo masculino a uretra passa em meio a próstata.

Por isso, o aumento benigno da próstata pode provocar a compressão do canal uretral, interferindo na potência e mira do jato de urina e, inclusive, impossibilitando sua passagem.

Essa retenção urinária pode também se transformar em uma infecção (prostatite) e até em litíases renais (pedras nos rins).

Nos sintomas irritativos, além de dores, ardências e inchaços – comuns em inflamações – é importante estar atento a sinais como:

  • o aumento da frequência na vontade de urinar
  • necessidades urgentes e inesperadas de fazer xixi
  • dificuldades para dispensar a urina
  • urina saindo em pausas, gota a gota ou em jatos fracos
  • sangue na urina
  • continuar sentindo a bexiga cheia logo após de ter ido ao banheiro

Ao observar  alguns desses sintomas é essencial que o paciente procure um urologista e faça sua avaliação de saúde; considerando que os indícios listados também podem ser sinal de outros problemas do sistema reprodutivo e urinário.

aumento benigno da próstata

Somente através de consulta médica é possível diagnosticar o aumento benigno da próstata. E para isso, ou para identificar outras doenças da próstata, alguns exames podem ser feitos.

Saiba mais: Exame de próstata: preconceito ainda evita que homens se submetam ao diagnóstico

Dentre os principais, o exame de toque retal é simples e eficiente, visto que a próstata fica atrás do reto e pode ser avaliada imediatamente.

Outro método super eficaz, mas com prazo de resultado não imediato, é o exame que analisa em uma amostra de sangue a quantidade de Antígeno Prostático Específico (PSA) presente no organismo do paciente. A alteração da quantidade média dessa enzima caracteriza necessidade de avaliações mais aprofundadas do quadro clínico do indivíduo.

Em casos de variações nos resultados das opções de pré-diagnóstico, um ultrassom pode ser solicitado para, a partir de exame de imagem, fazer o reconhecimento do problema.

Para investigações mais avançadas, pode ser indicado o exame de biópsia. Neste caso é colhido um pequeno pedacinho da próstata para que seja analisado em laboratório.

Tratamento

Após a etapa de diagnóstico e avaliações, o paciente com aumento benigno de próstata iniciará seu tratamento que pode ser medicamentoso ou cirúrgico.

A escolha pelo tratamento adequado dependerá do grau de avanço em que a enfermidade esteja presente no paciente. Em casos iniciais e mais leves, o urologista poderá optar pela prescrição de remédios.

Mas nos casos em que a próstata já alcançou um tamanho avantajado, em que há aparição de múltiplos e graves sintomas, prejuízos nos órgãos urinários ou outras complicações, faz-se necessária a opção pela cirurgia.

Nesse sentido, as intervenções mais comuns são: a Ressecção Transuretral da Próstata (RTUP) para a desobstrução dos canais urinários via uretra; ou a cirurgia aberta, recomendada para extração de edemas por meio de corte na bexiga.

A recuperação da primeira é mais rápida, pois dispensa a hospitalização. Diferentemente da segunda opção, a qual requer todos os cuidados dispensados ao pós-cirúrgico habitual.

Leia também: Câncer de pênis: sintomas, diagnóstico e tratamento
Câncer de testículo: quais são os sintomas e como tratar?

A boa notícia é que na grande maioria dos casos os tratamentos para o aumento benigno da próstata é extremamente positivo, apresentando melhoras expressivas ou completas dos pacientes.

Para garantir esse resultado, porém, é imprescindível que o diagnóstico seja realizado o quanto antes. 

Por isso, realize sua avaliação de saúde, visite seu médico urologista com a frequência necessária e mantenha hábitos saudáveis.

FAÇA AGORA MESMO UMA AVALIAÇÃO DE SAÚDE GRATUITA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *