Entre em contato pelo 0800 591 9059 ou pelo whatsapp (48) 9 9614-7530

Ereção incompleta: o que é, causas e tratamentos

Ereção incompleta

Dentre as disfunções sexuais mais comuns, não é sempre que ouvimos falar sobre a ereção incompleta. Você já ouviu falar sobre isso?

De acordo com um levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Urologia, pelo menos metade de todos os homens já tiveram (ou terão) uma ereção incompleta ao longo da vida.

No entanto, é preciso entender como acontece o processo de uma ereção. Dessa forma, será possível compreender melhor o que é uma ereção incompleta.

FAÇA AGORA MESMO UMA AVALIAÇÃO DE SAÚDE GRATUITA

Sobre ereções

A ereção começa com um estímulo visual ou através do toque; seja pelo contato com algum conteúdo erótico, por troca de carícias ou até por masturbação.

Um conjunto de reações do sistema nervoso emitem sinais ao corpo para que a ereção aconteça.

Em seguida, a musculatura do pênis se relaxa e as artérias se dilatam, abrindo espaço para o aumento do fluxo sanguíneo na região.

Desse modo, o homem está preparado para ter uma relação sexual.

Por estar diretamente ligado ao sistema nervoso, qualquer desajuste hormonal ou orgânico podem ser um “problema”.

Como em uma engrenagem, é essencial que tudo permaneça saudável para funcionar perfeitamente.

Quando algo não vai bem emocional ou fisicamente, é muito comum identificarmos as conhecidas disfunções sexuais.

Além disso, é comprovado cientificamente que o avanço da idade também é um fator preponderante para possíveis agravamentos.

Conforme indica a Sociedade Brasileira de Urologia, antes dos 40 anos, cerca de 15 a 25% dos homens informaram esporádicos episódios de dificuldade erétil.

Porém, a partir dos 40 anos essa frequência pode aumentar e vir a se tornar um diagnóstico de impotência sexual.

Artigos complementares: Principais causas da impotência sexual e como tratá-la
9 mitos e verdades sobre impotência sexual
Impotência sexual tem cura? Dúvida é comum para muitos homens

Nesse sentido, as disfunções sexuais podem se apresentar em diferentes estágios:

  • Primário: é comum que, nesses casos, os homens tenham um histórico de ereções fracas ou perda da rigidez em toda a sua trajetória da vida sexual;
  • Secundário: sendo a condição mais comum entre os homens, nesse caso, em determinado momento da vida, as ereções que sempre foram de qualidade deixam de ser completas e firmes;
  • Disfunções situacionais: são consideradas aqueles casos de ereção incompleta resultantes de situações específicas ou com determinadas pessoas;
  • Distúrbio erétil grave: impotência sexual total e em todas as tentativas de ato sexual – inclusive sob efeito de altas doses de medicamentos.

Saiba mais: O que você já deveria saber sobre impotência sexual
Como evitar a impotência sexual? 9 dicas indispensáveis de especialistas

O que é uma ereção incompleta

Segundo dados da SBU (Sociedade Brasileira de Urologia), entre 8 e 10 milhões de brasileiros sofrem com algum tipo de distúrbio sexual.

A ereção incompleta é apenas uma dentre diversas questões que podem surgir na saúde sexual masculina.

Nesses casos, a ereção acontece, mas o órgão genital não alcança a sua potência máxima de rigidez.

Assim, isso é um dos motivadores para a impotência que dificulta e até impossibilita o ato sexual.

Não é para menos que este se torna um grande vilão entre os homens, deixando, inclusive, suas parceiras ou parceiros desconfortáveis e/ou insatisfeitos.

Leitura sugerida: Disfunção erétil e como a parceira pode ajudar o homem que sofre de impotência sexual

De modo geral, as principais causas para uma ereção incompleta acontecer podem estar ligadas à saúde emocional ou psicológica, tanto quanto à saúde física.

Nesse sentido, é importante destacar que para qualquer diagnóstico e/ou tratamento é indispensável realizar uma avaliação de saúde com um médico especialista.

Caso essa seja uma dificuldade enfrentada por você, separamos algumas possíveis causas que podem te ajudar a compreender esse problema.

E é isso que veremos a seguir.

Possíveis causas físicas

Quando se trata da saúde do corpo, a ereção incompleta pode se dar por:

  • Falta de pressão suficiente para o enchimento das artérias;
  • Problemas de circulação sanguínea;
  • Irregularidades na retenção de sangue no pênis;
  • Alterações e danos no tecido peniano;
  • Acúmulo de gordura ou entupimento das artérias penianas;
  • Enfraquecimento das musculaturas pélvicas;
  • Problemas neurológicos.

Algumas das condições acima podem ser decorrentes de outras complicações de saúde ou causas orgânicas. Dentre elas destacam-se:

  • Avanço da idade;
  • Sedentarismo;
  • Obesidade;
  • Doenças cardíacas;
  • Diabetes;
  • Colesterol alto;
  • Doenças hepáticas e renais;
  • Hipertensão;
  • Acúmulo de placas de gordura, cálcio e outras substâncias nas artérias (Aterosclerose);
  • Problemas com testosterona baixa, aumento da prolactina, alterações na testosterona estradiol; desregulagem entre o SHBG alto e a testosterona livre baixa, dentre outros;
  • Redução de uma substância encontrada no colágeno (síntese da substância pode ser deficiente e prejudicar também a ereção);
  • Doença do “Pênis torto” (Peyronie);
  • Parkinson;
  • Alzheimer;
  • Esclerose múltipla;
  • Lesões na medula espinhal;
  • Consumo de antidepressivos, betabloqueadores e outros;
  • Tratamentos e cirurgias da próstata;
  • Alcoolismo;
  • Uso de drogas;
  • Tabagismo.

Ereção incompleta por causas psicológicas

Conforme esclarecido em outros artigos sobre impotência sexual, disfunção erétil e outros distúrbios sexuais; as cargas emocionais têm grande influência no desempenho sexual masculino (e também no feminino).

No caso da ereção incompleta, é bastante comum que a maioria dos casos aconteça entre homens jovens na condição de disfunção situacional.

Isso significa que, assim como os estímulos visuais conduzem o acontecimento de uma ereção, situações pessoais e questões que afetam negativamente o psicológico automaticamente se tornam uma barreira no desempenho sexual.

Esses problemas psicológicos que causam ereção incompleta podem ser devido à:

  • Estresse e preocupações com questões profissionais e financeiras;
  • Problemas pessoais e no relacionamento;
  • Depressão
  • Ansiedade 
  • Insegurança no desempenho sexual;
  • Vício em conteúdos pornográficos;
  • dentre outros.

Como tratar a ereção incompleta

É importante destacar que a ereção incompleta acontece gradativamente.

Também pode ser causada por uma junção de situações que desencadeiam problemas vasculares e de bombeamento sanguíneo.

Essas degenerações representam impotência em 50% das relações sexuais, que podem ir aumentando.

Por isso, realizar avaliações de saúde e visitas regulares ao médico urologista é essencial para a saúde sexual.

A investigação de todas as possíveis condições, sejam elas físicas ou psicológicas, serão indispensáveis para que os tratamentos corretos sejam oferecidos ao paciente.

Tanto na ereção incompleta, quanto em outros distúrbios, é possível considerar a reversão desses problemas e proporcionar novamente uma qualidade sexual aos homens.

Informações extras: 3 dicas para resolver problemas de ereção e melhorar o desempenho sexual

Além disso, é imprescindível que os hábitos saudáveis façam parte da vida de qualquer pessoa, diminuindo os riscos desse e outros problemas de saúde surgirem.

Para mais informações sobre impotência sexual leia os textos sugeridos ao longo deste artigo; e em caso de dúvidas escreva aqui nos comentários, será um prazer te ajudar!

Leia também: Onde comprar spray sublingual para impotência sexual e ejaculação precoce?

FAÇA AGORA MESMO UMA AVALIAÇÃO DE SAÚDE GRATUITA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *