Entre em contato pelo 0800 591 9059 ou pelo whatsapp (48) 9 9614-7530

Medo de falhar: você tem? Veja quais são os 3 maiores medos dos homens na cama

medo de falhar

O medo de falhar, está em terceiro lugar, entre os maiores temores dos homens no que se refere ao seu desempenho sexual. É isso que revela uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo com 3 mil entrevistados entre homens e mulheres. A maior preocupação para 54% dos homens participantes é não satisfazer a sua parceira ou parceiro na cama.

O segundo maior temor para 48% deles é pegar alguma doença sexualmente transmissível (DST). Deixando em terceiro, com 46%, o medo de falhar.

Entre outros destaques da pesquisa sobre comportamento sexual, está o fato de que tanto para mulheres quanto para homens, o sexo é considerado fundamental para o relacionamento. Para 95,3% dos entrevistados, o sexo é importante ou muito importante para harmonia do casal.

Agora, vamos aos três maiores medos que os homens possuem quanto ao desempenho sexual:

FAÇA AGORA MESMO UMA AVALIAÇÃO DE SAÚDE GRATUITA

1 – Não satisfazer a parceira

MEDO-DE-FALHAR-2

Para 54% dos homens entrevistados, o maior medo durante a relação sexual é não satisfazer a parceira ou parceiro. Isso pode ser explicado, pois muitos ainda acreditam que são os únicos responsáveis pelo orgasmo do outro.

Quando a parceira ou parceiro não goza, o homem tende a se responsabilizar por isso. Sente-se inseguro, acredita que vai ser comparado com outros homens com quem ela/ele já teve relacionamento, fica com medo de não ser tão “bom de cama” e ainda teme que algum comentário sobre isso se espalhe.

Veja também: 5 dicas para melhorar o sexo com a parceira e reconquistá-la na cama

2 – Contrair doença sexualmente transmissível (DST)

medo de falhar _dst

Alguns dados sobre sexo seguro podem ser considerados preocupantes, principalmente pelo fato de 48% dos homens temerem pegar DSTs. Se há o temor, é porque não se protegem adequadamente.

De forma geral, 29,7% dos 3 mil entrevistados relataram usar sempre camisinha, em todas relações sexuais. A porcentagem de pessoas que nunca utiliza é bem superior, sendo 36% dos entrevistados.

Em relação à prática de sexo seguro de acordo com a idade dos entrevistados, o grupo que mais utiliza camisinha, e em todas relações, é o dos jovens, 36,2% dos entre 18 e 25 anos. E outros 10% utiliza quando tem parceiras (os) eventuais.

O que é bem diferente do comportamento sexual das pessoas com mais de 61 anos. 51% dos entre 61 e 70, relataram não usar camisinha. Esse dado reflete no fato de que, cada vez mais, pessoas nessa faixa etária contraem DSTs.  

Vamos falar sobre prevenção de DST na terceira idade?

3 – Medo de falhar 

medo de falhar ereção

O medo de falhar e de não conseguir mostrar um bom desempenho na cama ficou em terceiro lugar entre os maiores receios dos homens entrevistados. Para 46% deles, essa é uma preocupação que traz ansiedade na hora do sexo. 

A importância do diálogo na solução de problemas sexuais no casamento

Cabe ressaltar aqui, que essa cobrança excessiva de que o homem não pode falhar, tende a ser uma das principais causas de problemas relacionados a disfunção erétil.

Dentro desse temor de falhar na “hora H”, destacam-se principalmente:

Medo de perder a ereção

O homem fica tão preocupado em ser “bom de cama” que acaba voltando seus pensamentos somente para essa questão. Isso faz com que deixe de lado a entrega e o envolvimento com o seu par, itens essenciais para uma relação prazerosa. 

Parceiros novos também costumam gerar uma grande ansiedade e maior medo de falhar entre esses homens. A pressão para uma primeira vez perfeita intensifica ainda mais esse temor.

Talvez você se interesse por: Autoestima masculina: 6 dicas para elevar a sua e se sentir melhor consigo mesmo

Perder a ereção ou não conseguir uma ereção esporadicamente é considerado normal e acontece com  a maioria dos homens (embora muitos não admitam). Porém, se situações como essa ocorrem corriqueiramente com você, procure ajuda profissional, pois a disfunção erétil atinge cerca de 30% da população mundial.

As causas podem ser físicas, comportamentais ou psicológicas, mas o mais importante é que para todas existe tratamento. Procure uma equipe especializada em saúde do homem e veja como melhorar essa situação. Faça uma Avaliação de Saúde da Uro Telemedicina e descubra o seu problema e o tratamento mais indicado para o seu caso.

Ejacular rápido demais

A preocupação em gozar antes da parceira atinge 42% dos entrevistados. O homem que “termina” muito rápido não se satisfaz completamente e também não proporciona o prazer desejado para seu parceiro ou parceira. A preocupação com isso, faz com que o homem ejacule mais rápido e se sinta culpado por isso.

A masturbação pode ser uma grande aliada para ajudar nessa questão. Conhecer o próprio corpo e saber o que leva ao orgasmo pode ajudar muito na hora do sexo e no controle da ejaculação.


Leia também: 11 curiosidades sobre masturbação masculina

Como demorar a ejaculação? 5 truques + super dica para quem sofre de ejaculação precoce


Ejaculação precoce em casos isolados também é considerada normal na saúde do homem, mas se este é um problema que se repete com frequência na cama, saiba que existe tratamento e você deve procurar ajuda.

Assim como para a disfunção erétil, a Uro Telemedicina também conta com tratamentos para ejaculação precoce. Faça uma Avaliação de Saúde online e gratuita e descubra o tratamento ideal para o seu problema. 

Para finalizar, uma dica muito importante: deixe seus medos de lado. Curta o momento, entregue-se, envolva-se. Não importa ser perfeito, o que importa é ser gostoso e prazeroso para ambos. 

FAÇA AGORA MESMO UMA AVALIAÇÃO DE SAÚDE GRATUITA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *