Entre em contato pelo 0800 591 9059 ou pelo whatsapp (48) 9 9614-7530

Orgasmo na terceira idade: o que muda nesta fase?

orgasmo na terceira idade

É muito comum pensar que, na terceira idade, as pessoas deixam de ter uma vida sexual ativa. E este pensamento, além de estar longe da verdade, não deixa de ser carregado de um certo tabu: afinal, quem disse que os idosos não têm direito a se relacionarem sexualmente e sentirem prazer?

Dito isso, é fato que o envelhecimento provoca algumas mudanças em nosso comportamento e funções sexuais. Por exemplo, você já deve ter escutado por aí que, em geral, pessoas mais velhas têm menos interesse em sexo, e que a qualidade da performance sexual pode cair conforme a idade avança.

Embora isso possa ocorrer, não é uma regra, e muito menos significa que pessoas na terceira idade devam parar por completo sua atividade sexual. Afinal, o sexo faz parte da vida, inclusive durante o envelhecimento.

Por isso, neste post vamos falar de algumas características do sexo e o que ocorre em relação ao orgasmo na terceira idade . Ele muda? Tende a diminuir de intensidade? É perigoso ter um orgasmo depois de algum problema de saúde? Acompanhe em nosso artigo!

FAÇA AGORA MESMO UMA AVALIAÇÃO DE SAÚDE GRATUITA

Como é a resposta sexual normal em seres humanos?

Antes de abordarmos as alterações biológicas que ocorrem quando ficamos velhos, é preciso explicar como é a resposta sexual normal em seres humanos. Homens e mulheres têm um ciclo de resposta sexual que podemos dividir em 4 etapas:

  • Excitação
  • Platô
  • Orgasmo
  • Resolução

No caso do homem, esse ciclo se cumpre da seguinte maneira: na etapa de excitação, o homem atinge a ereção a partir de um estímulo visual, fantasia ou toque. Na fase do platô, aumentam as tensões sexuais e, a seguir, chega-se ao orgasmo, normalmente associado à ejaculação. Por fim, atinge-se a resolução, que é o momento de relaxamento. 

Quando vamos ficando mais velhos, a resposta sexual do nosso corpo passa por alterações, e é possível notar que elevam-se os números de distúrbios sexuais com a idade. Entre os que podemos destacar estão a queda na quantidade de hormônios (esteróides sexuais).

Leia mais: Como melhorar o relacionamento com sua parceira: 4 dicas simples e eficazes

Quais mudanças são esperadas com relação ao sexo e ao orgasmo na terceira idade?

Nos homens, é bastante comum que o interesse sexual se mantenha mesmo ao ficarmos mais velhos. Mesmo assim, a frequência com que o ato sexual ocorre costuma diminuir. Além da diminuição na atividade sexual, é natural haver também mudanças com relação aos estágios da relação sexual.

Por exemplo, a ereção pode levar mais tempo para começar, e a ejaculação tende a ocorrer mais tardiamente. Já o orgasmo tende a ser menor em duração e intensidade, e o período de latência ou período refratário (tempo que o homem leva para estar apto a uma nova relação depois de ter uma) tende a demorar mais.

Mesmo assim, não podemos nos esquecer que a disfunção erétil e a impotência sexual não fazem necessariamente parte do sexo ao longo do envelhecimento, e pode estar relacionada a algum problema de saúde ou efeito adverso de algum tratamento, como cirurgia de próstata.

Leia mais: Alcoolismo e disfunção erétil: qual a relação?

É natural que a frequência do sexo e do orgasmo ao longo do envelhecimento caia?

Sim, é normal que, na terceira idade, a frequência sexual diminua. Mas devemos considerar que a noção de sexo também muda e se torna mais ampla quando vamos ficando mais velha. Por exemplo, é possível se satisfazer com carícias. Além disso, acaba surgindo uma desobrigação com o orgasmo e, por causa das expectativas menores, muitas vezes a relação se torna inclusive mais prazerosa.

Leia mais: 5 dicas para melhorar o sexo com a parceira e reconquistá-la na cama

Na velhice, é perigoso ter relações sexuais e/ou um orgasmo depois de algum problema grave de saúde, como um infarto?

Depende. É claro que esse tipo de situação deve ser conversada com um médico especialista, mas a verdade é que há alguns mitos a respeito do esforço físico envolvido na atividade sexual e sua relação com algumas doenças, em especial episódios cardiovasculares.

Na verdade, a atividade sexual não gera tanto esforço físico: para se ter uma ideia, o esforço pré-orgasmo ou durante o orgasmo equivale ao que fazemos quando caminhamos em terreno plano a uma velocidade de 3 a 6 quilômetros por hora. Ainda assim, é importante conversar com o médico para saber se há alguma restrição à atividade sexual devido a algum problema de saúde.

Leia mais: Existe remédio natural para impotência sexual masculina?

É aconselhável parar a atividade sexual e os orgasmos com o envelhecimento, principalmente depois de algum problema de saúde?

Também depende. A não ser que um especialista aconselhe, não é necessário parar a atividade sexual ou de ter orgasmo na terceira idade. Aliás, em muitos casos, a atividade sexual e os orgasmos podem ser benéficos à saúde do idoso. Por exemplo, do ponto de vista neurocerebral, ele faz bem para todo o corpo. Além disso, também pode funcionar como um potente analgésico, reduzindo possíveis dores no corpo do idoso.

Aqueles que compreendem que o envelhecimento faz parte da vida e aceitam suas características terão menos dificuldade em aceitar as mudanças que ocorrem na vida sexual e nos orgarmos na terceira idade.

Então, seja qual for sua idade, procure ter uma vida sexual saudável, e utilize sua experiência a seu favor. Deixe a vergonha de lado; afinal, sexo sem grandes preocupações tem o potencial de tornar a vida melhor.

Agora que você sabe o que acontece com o orgasmo na terceira idade, não espere mais! Realize nossa Avaliação de Saúde Gratuita Online e veja se está apto para fazer algum de nossos tratamentos. E para seguir se informando, visite o blog da UroClinic Telemedicina e confira outros artigos exclusivos que preparamos para você!

FAÇA AGORA MESMO UMA AVALIAÇÃO DE SAÚDE GRATUITA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *