Entre em contato pelo 0800 591 9059 ou pelo whatsapp (48) 9 9614-7530

PSA elevado, o que pode ser?

PSA elevado o que pode ser

No último artigo do blog falamos sobre aumento benigno da próstata, seus sintomas, tratamentos e exames de diagnóstico; agora trataremos sobre PSA elevado, o que pode ser e outras curiosidades.

Dentre as maneiras mais comuns de diagnosticar distúrbios da próstata, pode-se destacar o tradicional exame de toque e também o exame de sangue (PSA).

A segunda opção tem sido cada vez mais procurada como uma alternativa ao método considerado invasivo e muito temido pelos homens.

FAÇA AGORA MESMO UMA AVALIAÇÃO DE SAÚDE GRATUITA

Como funciona o exame de PSA

PSA é a abreviação de Antígeno Prostático Específico; trata-se de um teste que analisa os índices dessa enzima no fluido prostático. 

Isso significa que o material avaliado é o líquido produzido na próstata; que por sua vez é responsável por nutrir o sêmen e ajudar no fluxo de excreção do esperma.

A alta concentração de antígeno indica anormalidade no organismo e é uma maneira de descobrir se existem alterações na próstata através do sangue. 

Portanto, se observada irregularidades o exame de toque se torna necessário, tanto quanto outros exames complementares.

É importante destacar que esse método de diagnóstico e o exame de toque têm propósitos diferentes e não se substituem, na verdade se complementam. 

O PSA reconhece variações nos componentes sanguíneos, enquanto o toque detecta o tamanho da próstata e se há modificações físicas.

Além disso, esse tipo de análise laboratorial pode apresentar alguns malefícios, por isso, diferente do que a maioria dos homens pensam, é indicado somente em casos específicos.

Logo, o exame de PSA é mais indicado para pacientes com doenças identificadas em histórico familiar; homens negros com idade a partir de 45 anos; homens com idade entre 50 a 70 anos.

Leia também: Saúde do homem: por que eles se cuidam menos?
Exame de próstata: preconceito ainda evita que homens se submetam ao diagnóstico

PSA elevado, o que pode ser?

Existem muitas dúvidas e mitos relacionados ao exame de PSA. Afinal de contas: se seu resultado apontou PSA elevado, o que pode ser?

Para entender melhor as conclusões da sua investigação laboratorial é interessante evidenciar que os resultados avaliados são o de PSA total e o PSA livre.

Ambos dados coletados são cruzados e a partir de então pode-se presumir as chances de existência de doenças na próstata e se são malignas ou benignas – o que se confirmará com exames mais detalhado como a biópsia.

Entretanto, não é novidade que cada paciente e cada exame é muito particular. Isso significa que somente um médico pode fazer a correta avaliação dos resultados e a avaliação de saúde.

O PSA elevado pode representar sim algum distúrbio nos padrões prostáticos, mas isso não é uma regra.

Isso porque os resultados podem variar entre laboratórios e também podem sofrer alterações caso não haja uma correta preparação para a realização do exame.

Mas antes de se basear em informações de pesquisas, consulte o seu médico urologista e se necessário peça para refazer a coleta de sangue.

Você tem mais dúvidas sobre doenças na próstata? Veja esses artigos:
Próstata: tudo o que você precisa saber
Câncer, prostatite e hiperplasia benigna: os problemas mais comuns relacionados à próstata

Curiosidades sobre o PSA elevado

Todos os exames costumam ter dados médios de referência, no entanto, no caso do PSA um índice baixo ou elevado não significa indiscutivelmente a existência de uma doença na próstata como inflamação, câncer, nódulos etc.

O contrário também é verdade. O resultado dentro da média não exclui as chances de existência de nódulos e outras alterações que indiquem um problema prostático.

Portanto, é importante conhecer algumas condições que favorecem um resultado de PSA elevado o que pode ser ou se tornar um alerta:

  • O aumento da idade;
  • Ingestão de altos índices de testosterona (remédios);
  • Andar frequentemente de bicicleta;
  • A prostatite aguda ou crônica (inflamação na próstata);
  • Infecções genitais ou urinárias;
  • Aumento benigno da próstata (HBP);
  • Contenção urinária aguda;
  • Câncer na próstata;
  • Realização recente de procedimentos como toque retal, biópsia, cistoscopia, cirurgia ou ressecção transuretral da próstata.

Esse artigo também pode te interessar: 11 mitos e verdades sobre Câncer de Próstata

Atenção!

Uma imprescindível curiosidade deve ser bastante destacada: somente o exame de PSA ou seu resultado elevado não são parâmetro para diagnóstico de câncer ou qualquer outra disfunção na próstata!

A análise de PSA junto a outros exames como a biópsia dão maiores chances de um diagnóstico precoce, principalmente em jovens pacientes.

A consulta regular com o urologista é indispensável, pois o câncer de próstata pode ser assintomática, potencializando sua gravidade e dificultando os tratamentos.

Por fim e não menos importante, o exame de PSA tem um resultado muito mais eficaz quando combinado com a avaliação de toque retal. Nesse sentido, ao contrário do que a grande maioria dos homens pensam o exame de toque não pode ser substituído por um exame de sangue.

Para evitar problemas na próstata mantenha sempre uma vida saudável e ativa; prefira alimentos ricos e nutritivos; pratique atividades físicas; evite o consumo de bebidas alcoólicas, o tabagismo e a ingestão de alimentos gordurosos.

Cuide sempre da sua saúde mantendo visitas regulares ao seu urologista, solicite uma avaliação de saúde e tire todas suas dúvidas.

Quer saber mais sobre a saúde do homem? Visite o nosso blog e veja todos os artigos que preparamos para te ajudar a cuidar melhor da saúde masculina.

FAÇA AGORA MESMO UMA AVALIAÇÃO DE SAÚDE GRATUITA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *